Sobre

Também conhecida como Psicofisiognomonia, Fisiognomonia, Personologia, Morfopsicologia, Visage ou Siang Mien, a Leitura de Rosto existe a milhares de anos e é utilizada há milênios no oriente e no ocidente como um dos principais métodos de diagnóstico de saúde e de avaliação comportamental.

A Idade Média descobriu a fisiognomonia através do Islã, do Egito e da Índia. Aos muçulmanos se deve uma versão abreviada do tratado de Aristóteles, em que o filósofo aconselha Alexandre quanto à escolha de seus ministros, amigos e escravos.

A fisiognomia árabe tinha também sua tradição com uma abundante literatura. O manual de medicina (Al-Tibb al Mansûrî ) de Rhazès dedica-lhe 58 capítulos, o Kitâb-al-Firâsa, de Al-Râzi (1209), tem excelentes especulações sobre natureza e as formas animais do homem.

No Extremo Oriente, na China, a arte milenar da leitura facial (onde é chamada de Siang Mien) data da época do imperador amarelo. Inicialmente, era uma ferramenta de diagnóstico dos praticantes da medicina chinesa, depois se tornou um método de estudo da personalidade e divinação chinesa utilizada pelos imperadores no momento de escolher os cargos do governo e para ajudá-los a tomar decisões importantes.

Este conjunto de conhecimentos baseado na experiência da medicina oriental e que conta com milhares de praticantes em todo o mundo, remonta aproximadamente “cinco mil anos”.

Cada traço, cada aspecto facial traz consigo uma relação direta com o seu interior e revela as suas tendências comportamentais inerentes ao seu padrão de personalidade, cujo o conhecimento pode propiciar um grande crescimento e transformação nos âmbitos pessoal e profissional.

Em 1834, Samuel George Morton (1799 - 1851) escreveu Synopsis of the Organic Remains of the Cretaceous Group of the United States, onde diz que os caucasianos possuem os maiores cérebros, seguidos pelos mongóis, malaios e por fim, os etíopes. Ele acreditava na poligênese, quanto maior o crânio, mais antiga e maior a capacidade intelectual do indivíduo.

Umberto Eco, em seu livro Sobre os Espelhos e outros Ensaios dedica um capítulo inteiro sobre a Leitura de Rosto. Mostra-nos que Aristóteles já havia tocado no assunto e que o dado básico é a hipótese de que poderíamos julgar o caráter de um homem ou animal a partir de sua estrutura corporal. Tal avaliação seria possível por conta de outra hipótese, as inclinações naturais transformariam simultaneamente alma e corpo. Portanto, os traços do rosto deveriam remeter a características internas (éticas e morais).

Eco nos conta que, com Charles Darwin e Cesare Lombroso, o século XIX confere a ela um status científico. Procurava-se desta forma distinguir entre uma Fisiognomia natural (associações frágeis e ambíguas) e outra Fisiognomia, dita científica (baseada em estudos anatômicos). A frenologia postula que tudo encontra representação na superfície do cérebro: faculdades mentais, tendências, instintos, sentimentos. Por exemplo, aqueles com acentuadas qualidades mnemônicas tem o crânio redondo, olhos salientes e distantes um do outro. Combatida por todos, pretendia que, mesmo que um indivíduo seja honesto, sua honestidade é mentirosa porque sua conformação craniana mostra quem ele de fato é.

Lombroso acaba ligando esta tradição às práticas racistas que, além do mais, revestem de caráter científico a visualização da figura do criminoso. Eco faz uma interessante referência ao caráter lombrosiano-lavateriano da fotografia 3x4, que todos nós carregamos na carteira de identidade. Em sua opinião, a própria fotografia nos deforma, tornando-nos “pessoas ruins” por nossa feiúra. Eco também faz referência à revista em quadrinhos... “Chegamos à revista em quadrinhos. E, de fato, a revista em quadrinhos e a caricatura são os lugares onde a Fisiognomia adquire valor fotográfico de estenografia e esboça, com poucos traços enfatizados, toda uma história psicológica e moral. Baseando-se exatamente nos preconceitos (e em parte na sabedoria antiga) de uma Fisiognomia natural: usando-os e reforçando-os”.

Lombroso e Darwin foram influenciados pelas pesquisas de Morton, que mesmo tendo impresso poucos exemplares, estes percorreram o mundo e os acadêmicos mais influentes da época se deixaram levar por esta pesquisa que hoje não tem nenhum fundamento. Sua obra ainda influenciou os abolicionistas, eles diziam que, por serem inferiores, os negros deveriam ser protegidos por quem tinha maior capacidade intelectual.

Stephen Jay Gould (1941-2002) escreveu o livro The Mismeasure of Man (1981), onde põe por terra os métodos de estudo da craniometria do século XIX e diz que o desenvolvimento do estudo daquela época é infundado e que as diferenças sociais e econômicas entre raças, classes e sexos surgiu de uma cultura herdada.

O que podemos afirmar sobre a ciência é que, a verdade de hoje pode ser a mentira do amanhã (em 2011 esse trabalho de Gould foi contestado por seis antropólogos, onde disseram que seu estudo estava incorreto).

Nestes mais de 20 anos de pesquisa prática, o que posso colocar aqui para você, meu amigo leitor, é que acredito no que está escrito aqui. Li vários livros de vários autores e não me canso de pesquisar e ver cada vez mais na história que, em sua grande maioria relatada, este estudo gerou controvérsias e em inúmeras vezes foi usado contra a população.

Estudos milenares, encontrados nas paredes das pirâmides, no Egito, trazem informações importantíssimas sobre quem e como somos, que tudo está refletido em nosso rosto, que poderiam ser usados para nos unir, foram usados para nos separar.

Antes de qualquer crítica ou julgamento, precisamos ver em qual meio a pessoa analisada cresceu, para só depois podermos falar de suas características. O que vemos no rosto são tendências e uma tendência nunca vai virar uma ação sem a influência direta do meio ambiente onde a pessoa se encontra.

Como dizem alguns amigos, meditar em um retiro no Himalaia é fácil, quero ver você meditar sentado na calçada da Avenida Paulista!

Use e divulgue este material com sabedoria, aprenda a fazer uma análise completa e sem julgamentos, não cometa os erros que cometi no começo dos meus estudos, quando acreditava que quem possui uma marca é e age desta ou daquela forma.

Essa teoria de que uma raça é mais evoluída que outra - que um sexo é mais frágil que outro, é pura lenda. Somos capazes de fazer o que qualquer um na história já fez!

Entenda melhor seus potenciais e suas fraquezas, quem vê o defeito em você é o outro! Entenda-se e evolua!

Artigos Científicos

Os cientistas mais uma vez declararam a fisionomia como uma pseudociência. Ao mesmo tempo, pesquisas mostram que o rosto transmite informações muito importantes sobre nossa personalidade. Carmen E. Lefevre, da Universidade de Nortumbria, assegura que no aspecto físico os genes, os hormônios e o modo de vida influenciam, justamente por isso o rosto da pessoa realmente pode ser o espelho da sua alma.

Os cientistas demonstraram a conexão entre a forma do rosto e a dominação. Ao estudar o rosto dos jogadores de futebol da Copa do Mundo de 2010, Keith Welker, da Universidade do Colorado, em Boulder, 
afirmou que o equilíbrio entre a largura e a altura de seus rostos pode predizer quantos gols eles farão.

A proporção média entre a largura e a altura é de aproximadamente 2 unidades, enquanto a proporção do 16º presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, foi de 1,93 unidade.

Para calcular as proporções do seu rosto, meça a distância entre as orelhas e a distância da linha superior dos olhos até o lábio superior. Segundo os cientistas, a proporção dessas duas medidas mostrará quão altas são suas chances de sucesso: quanto menor for este número, maiores elas serão.

Pesquisas conduzidas por cientistas da Universidade de Londres
 mostraram que os homens com alto nível de testosterona têm rosto largo e maçãs do rosto grandes. O nível desse hormônio, por sua vez, está ligado a uma alta agressividade, desejo de ter poder e uma sede interna de rebelião. As mulheres, por sinal, o sentem num nível subconsciente.

Este truque é usado ativamente por cineastas, convidando atores com maçãs do rosto grandes e características faciais bastante rudes para certos papéis de machos alfa, de homens rebeldes e de vilões.

As rugas não mostram apenas a idade da pessoa, como também o seu caráter. Para sorrir, chorar, franzir ou levantar a sobrancelha, certos músculos devem ser ativados. Com o passar do tempo “acostumam-se” a uma emoção e “a desenham” no rosto, até mesmo quando a pessoa está tranquila e não pensa absolutamente em nada.

As rugas nos cantos dos lábios e dos olhos falam de sua natureza otimista. Você ama rir honesta e emocionalmente. Mas uma ruga na testa entre as sobrancelhas revela uma pessoa séria, que teve muitas dificuldades.

A profissão de uma pessoa com a ajuda de uma fotografia

Muitos de nós escolhemos um lado específico do rosto para tirar uma foto, considerando-o mais vantajoso. 
Pesquisas de cientistas da Universidade da Austrália do Sul mostraram que as razões estão escondidas num fato mais profundo. Acontece que engenheiros, matemáticos e químicos muitas vezes se posicionam mostrando a câmera como sua bochecha direita, enquanto artistas e psicólogos enfatizam o lado esquerdo do rosto.

Também foi notado na diferença de gênero: para tirar uma foto, muitas vezes as mulheres viravam a cabeça para o lado direito, mostrando ao fotógrafo sua bochecha esquerda. Os pesquisadores acreditam que o lado esquerdo do rosto parece mais atraente, pois é controlado pelo hemisfério direito do cérebro, responsável pelas emoções.

Lín Jì, da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, 
analisou 123 selfies do Sina Weibo, rede social chinesa similar ao Twitter, e encontrou uma conexão curiosa entre os tipos de selfies e os traços de caráter de alguém. As pessoas mais amigáveis gostam de tirar selfies de baixo para cima. As dispostas a receber novas impressões muitas vezes demonstram emoções positivas e não têm medo de parecer engraçadas nas fotografias. Aquelas com um transtorno obsessivo-compulsivo são frequentemente fotografadas com a expressão facial “cara de pato”.

Mas ao mesmo tempo os estudantes, vendo as fotografias, não podiam determinar corretamente todos os traços de caráter das pessoas representadas nas imagens. A razão é que a maioria tenta se ver em selfies muito melhor do que na vida normal, e isso complica a tarefa de determinar seu caráter.

Estudos de 1.700 fotografias de rostos ou, para ser mais preciso, de narizes, foram publicados no
 The Journal Craniofacial Surgery, em 2013. Os pesquisadores estudaram 14 formas diferentes de nariz e as relacionaram a diferentes tipos de personalidade. Descobriu-se que quanto maior o nariz, mais ambicioso era o seu dono. Essas pessoas são perfeccionistas.

Os cientistas inclusive estudaram a ponta do nariz e chegaram à conclusão de que, no caso dos maiores e mais carnudos, seus donos podiam ser bons investidores e financistas e, no caso dos pequenos, seus donos não dão grande importância às economias.

Mesmo dois gêmeos totalmente idênticos, que não podem ser distinguidos um do outro, adquirem mais distinções ao longo do tempo. Os genes são genes, mas o estilo de vida 
influencia muito na aparência física da pessoa. Os vícios, aos poucos, literalmente “se refletem” no rosto e ajudam a determinar, à primeira vista, com o que essa pessoa vive e o que é esperado dela.

Claro, você pode determinar um alcoólatra à primeira vista. Mas, por outro lado, nem todos os vícios humanos são refletidos no rosto. Por exemplo, muitos serial killers e maníacos têm uma aparência física verdadeiramente angelical.

O psicólogo da Universidade de Princeton, Alexander Todorov, 
tem certeza de que instantaneamente formamos uma impressão sobre novas pessoas, mas estes preconceitos costumam ser enganosos. Eles estão baseados no efeito halo, quando pessoas bonitas parecem inteligentes e gentis.

Para provar isso, Todorov pediu a seus alunos que avaliassem a aparência de diferentes retratos falados. Pessoas com características de aparência infantil, como rosto redondo e olhos grandes, pareciam frágeis, ingênuos, obedientes, sinceros e gentis. Os rostos de uma cara feia e assimétrica estavam associados a um caráter hostil.

Lembre-se de quantas vezes a primeira impressão de uma pessoa lhe enganou. Em muitos dos relacionamentos positivos, as pessoas amáveis decepcionaram, enquanto aquelas que não mereceram confiança de início acabaram se tornando pessoas boas. Isto está precisamente relacionado ao fato de que as pessoas tendem a “julgar de acordo com a aparência”.

Leitura de Rosto para Seleção de Pessoas

Contratar a pessoa certa para o trabalho certo sempre foi a meta de qualquer gerente, especialmente para o gerente de Recursos Humanos, que normalmente é o encarregado da triagem inicial dos candidatos. Do outro lado da mesa temos uma pessoa que precisa de emprego e está procurando uma posição que seja gratificante e adequada a sua personalidade e talentos.

Ganhar dinheiro, gostar do trabalho e fazê-lo com primazia gera um a situação de ganha-ganha tanto para a empresa quanto para o colaborador.

Poucas empresas no Brasil possuem uma descrição detalhada e realística de cargos, o que faz com que grande parte das pessoas contratadas (na maior parte das empresas) exerça mais de uma função e seja tanto subutilizada como super utilizada, o que causa desconforto para o colaborador.

Se você for observar o índice de absenteísmo e quais as pessoas que mais adoecem dentro de uma empresa, vai notar que acontecem mais nos colaboradores que não gostam do que fazem, são mais negativos e/ou reclamam mais dos seus superiores.

Os resultados da seleção e do remanejamento de pessoas através do rosto ainda são pequenos, já que boa parte das empresas nunca nem ouviu falar desta antiga metodologia, mas cada vez mais a ciência estuda padrões de comportamento refletidos no rosto. Mac Fullfer com a CNN e em conjunto com a revista Fortune pesquisaram e descobriram que não existe nenhuma lei que impeça o uso da leitura de rosto neste processo.

Primeiro vamos olhar para o final do processo de seleção e dos componentes que podem contribuir para colocar a pessoa certa na posição correta dentro da empresa.

Também precisamos definir quais as qualidades que nosso futuro colaborador precisa ter, ou melhor, com a definição de cargos, ter descrito todas as necessidades que a vaga acomete para podemos selecionar com melhor qualidade.

Não nos atentamos às características naturais das pessoas quando as contratamos, normalmente olhamos seu currículo e tentamos em pouco tempo, com poucas informações, entender quem está ali a nossa frente. Contratações feitas utilizando também a leitura de rosto para seleção de pessoas tem se mostrado bastante eficientes por combinarem características naturais do indivíduo às necessidades da vaga.

Você conhece, por exemplo, uma pessoa nariguda que não tem destaque no trabalho que faz? Uma pesquisa publicada no Jornal de Cirurgia Cranio-facial tal sobre 14 tipos de nariz e define padrões de comportamento aos seus donos (confira). Pessoas com grandes narizes precisam fazer uma grande contribuição no trabalho. Farão uma diferença significativa se tiverem chance.

Pessoas gostam de reconhecimento, elas acreditam serem boas quando obtêm provas de valor vindas de fontes externas. Pessoas de narizes pequenos costumam trabalhar duro, muitas vezes em trabalhos rotineiros e monótonos. Assim como os grandes e bons narigudos servem para a liderança e gostam de trabalhar sozinhos, os narizes pequenos tendem a gostar mais de trabalhar em grupo na maior parte do tempo.

Se o assunto for criatividade e pensar fora da caixa, o ideal é contratar uma pessoa com a testa arredondada, alta e larga, ela vai trabalhar com inovações, será uma boa estrategista com um bom raciocínio.

Já se você quiser colaboradores que se importem sobre como as pessoas se sentem com relação ao que estão recebendo, o ideal seria contratar levando em conta o formato de suas sobrancelhas. Estas, quando arredondadas, indicam pessoas empáticas, que gostam de agradar aos outros, seu cliente agradeceria se você fosse assim.

Se você quer que as pessoas tomem decisões conjuntas, pode contratar pessoas com bochechas salientes e arredondadas. Pessoas com o nariz convexo também são desafiadoras e gostam de inovações, são ótimos em gerenciamento de projetos e se vêem como sortudos, perante novos desafios.

Pessoas com queixo quadrado são motivadas pelas metas que estabelecem para si mesmas e pelas causas que acreditam. No trabalho, acabarão se revelando e farão tudo pelo objetivo da organização.

Sabemos que o candidato está numa posição de venda, estão vendendo a si mesmos e sua experiência.
Quando o entrevistador tiver sobrancelhas retas, dê a ele informações precisas sobre fatos acontecidos, ele gosta de resultados quantificáveis. Se forem curvas, se tratam de pessoas mais emocionais, ela gostará de saber que você fez a sua parte e pesquisou a empresa antes de procurar emprego nela, vai gostar de saber o que o fascina na empresa, antes de contratá-lo. Seja sincero e gere empatia, ela saberá se estiver mentindo.

Um entrevistador com sobrancelhas angulosas tende a ficar mentalmente no controle. Permita que ele fique no controle, imagine-se na casa de alguém e siga suas regras.

Em geral, procure ser sempre pontual para a entrevista e vista-se adequadamente. Estude sobre a empresa antes e tente gerar Rapport esteja atento, seja

Como funciona

Temos como "mascarar" o consciente, não o inconsciente. O rosto expressa o mais profundo pensamento, o mais profundo sentimento, a mais profunda emoção.

No oriente, os antigos médicos chineses faziam diagnósticos médicos apenas olhando para a pessoa. Sabiam sobre seus costumes, personalidade, hábitos, pois tudo estava traçado em seus rostos. Para eles, cada órgão do corpo humano é associado a um elemento. O fígado e a vesícula são do elemento madeira; o coração e o intestino delgado do elemento fogo; o baço/pâncreas e estômago do elemento terra; os pulmões e o intestino grosso do elemento metal; o rim e a bexiga, do elemento água. Quando um destes órgãos está com problemas, tira a harmonia e o funcionamento do conjunto todo. Pensamentos que geram sentimentos e a liberação dos hormônios está diretamente relacionado a isso.

As rugas refletem padrões de pensamentos, pensamentos que podem modificar nosso corpo conforme os hormônios vão sendo liberados. A psicossomática explica fisiologicamente como as doenças são acionadas no organismo, dizendo que nosso estado mental está diretamente relacionado às secreções de hormônios, que vão causar as mais diferenciadas reações. Um exemplo interessante é o da pele, pessoas mais tímidas se ruborizam facilmente, alguns tipos de sensações podem ainda causar arrepios ou palidez, seu resfriamento ou aquecimento.

Em seu livro “Bioenergética”, Alexander Lowen diz: “A atitude do indivíduo em relação à vida ou seu estilo pessoal refletem-se no seu comportamento, em sua postura e no modo como se movimenta.” Afirma ainda que a aparência física exprime a personalidade do indivíduo.

Na leitura, o rosto expressa a maior parte das características do indivíduo. O corpo complementa essa informação.

O contorno do nosso corpo, a forma com a qual ele se comporta, excesso ou falta de gordura, flacidez, estrias, celulite, pintas, tipo de pele, flexibilidade e rigidez, tudo isso tem origem no inconsciente.

Uma boa leitura é feita do conjunto, em um todo. Mas para ver como o conjunto se comporta, é muito importante a análise das partes.

Compre AGORA seu Manual de Leitura de Rosto